terça-feira, 16 de maio de 2017

Autoral II

Sim, senhor

Não se dá valor ao sol e calor
Se a pele branca ele nunca tocou
Pouco vale o riso contínuo
Se nunca houvesse o pranto

Hoje o meu tempo é luz
Onde já houve trevas
A sensatez reservo a momentos exatos
E na outra maioria me permito

Pois só me permitindo posso dar valor
Ao riso, ao pranto, à luz e ao dia
Caso contrário viverei à sombra
Do que poderia ter sido e não fui.





Mayara Torroglosa Di Salvo
26/09/2009 - 17 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário