sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Angústia

Não, não é bem isso... Não sei o que é, mas a sensação de que tem alguma coisa fora do lugar não me sai do coração. É aquela sensação de aperto no peito, de falta de ar e incômodo constante.
To com vontade de sumir um tempo, viajar, e não precisar ser super responsável com tudo na vida... To com vontade do que é simples e fácil, das coisas que estão ao alcance das mãos.
To com vontade de ter muitos amigos e nenhum amor, porque assim as coisas ficam menos complicadas pra mim... To com vontade de sentir nada, de pensar pouco e só seguir os dias que vem e vão com simplicidade.
Eu só queria desfazer o nó do peito, ao descobrir porquê isso está lá... Por que isso sempre volta?

Por quê?!

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Poeira

Sempre precisei de um pouco de atenção
Acho que não sei quem sou, só sei do que não gosto
E destes dias tão estranhos
Fica a poeira se escondendo pelos cantos
Legião Urbana

A poeira se acumula em toda a casa, meu quarto está uma bagunça. 

Sempre aprendi que o exterior reflete o que há no interior das pessoas... No fundo, acho que há um pouco de razão nisso.
Os livros se empilham, as listas de estudos se multiplicam, nunca diminuem. Há, de certo modo, uma tentativa de se justificar a tamanha desordem ao meu redor por causa das leituras a fazer, do trabalho a realizar: uma tentativa frustrada de se conferir utilidade à mente, já que o coração - jogado às traças - espera vacilante que as coisas aconteçam lá do outro lado.
A ansiedade bate à porta, a dieta escorre pelos ralos, os kilos estragam as fotos e pedem roupas mais confortáveis. As dores nas costas aumentam e a apatia também... Tudo outra vez.
Me pergunto a respeito dos ídolos do meu próprio coração, há quanto tempo estão ali e por quanto tempo ficarão. Não vejo outro motivo para que tudo esteja como está, senão a minha própria incapacidade de me sentir plena e unicamente satisfeita no Senhor.
Quão profundo e enganoso é o meu próprio coração... Mesmo olhando fixamente para ele por horas, meses e anos, ainda sou surpreendida em suas sabotagens. Eu nunca me conhecerei o bastante para ser protegida de mim mesma.
Eu preciso de um Salvador... Mas quem é que não precisa?!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Contradição

Eu te dei o link deste blog... Foi como te dar a chave do meu diário.
O gesto foi para expressar confiança, mas não sei se ficaria mais tranquila se você o lesse ou se desistisse de ler por respeito a minha intimidade. Engraçado como esses sentimentos se misturam. Querer que alguém leia sua mente, e ter medo que ela possa - de fato -  ler... 
É terrível o medo de ser pesada demais, profunda demais, imperfeita demais. É terrível o medo de mostrar quem sou, porque não tenho nada além disso para oferecer se isso for insuficiente. Sou quem eu sou.
É reconfortante pensar na graça nessas horas, porque - afinal - ela pressupõe nossa insuficiência para ser eficaz. É bom ser "pequena demais", "frágil demais", porque aí eu sou cuidada por Ele... É como se eu pudesse me sentar em seu colo de Pai, e dormisse ali, sabendo que Sua força me levará para a cama quentinha na hora certa. Por outro lado, é como se eu fosse confrontada com a ideia de ser criança a vida toda diante Dele: nenhuma criança quer isso, mas um adulto ficaria grato se pudesse ser. Nesse sentido, quero ser adulta o suficiente para querer.
Você me confundiu há um tempo atrás... Achei que você estivesse acelerando as coisas, mas continua firme nesse ritmo bem "slow". Tirando a insegurança que bateu a princípio, achei bom. Deus está me apurando esses dias, sacudindo alguns pecados empoeirados... É sempre positivo quando isso acontece, mas quanto menos pessoas envolvidas, melhor, afinal, é tão bom quanto ruim essa sensação. Exposição e vergonha se misturam com o sentimento de evolução e honra. Acho que com Deus é sempre assim. Um dia eu te conto...

... Um dia.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Diário de oração

Hey, Jesus!
Hoje eu confessei alguns de meus pecados, e ainda assim eu sinto tanta dificuldade em me arrepender... Como pode a minha mente se convencer, e meu coração se atrasar?! Ah! Você me prometeu um coração de carne, um coração cujo a lei do Senhor está gravado nele... Dá-me este coração, Senhor!!
Eu tenho me conformado com aquilo que o Senhor já fez em mim, e confiado na graça diária para com o que ainda tenho dificuldade, mas eu não quero que "viver pela graça" seja misturada com a minha própria obstinação. Eu tenho pecado todos os dias, Senhor, sei que nada é oculto aos Teus olhos. Sabes também cada "desculpa", cada justificativa furada, cada um dos meus motivos rasos, e sabes que sou "cega" e "dura"... Tem compaixão de mim, Jesus. Que as tuas misericórdias se renovem sobre mim, que a tua graça redentora me transforme.
Hoje eu pedi ajuda a uma de suas filhas. Sei que ela é tua serva, Jesus... Sei que podes ajudar-me a superar tudo isso. Age em mim, age nela, age em mim através dela, e nela através de mim. Eu não quero a sua obra inacabada, e Você prometeu que a terminaria... Eu sei que isso não ficará, assim, pela metade. Vamos superar isso!
O Senhor conhece os desejos do meu coração, e conhece os meus medos. Conhece as oportunidades que me batem à porta, pois foi o Senhor que as concedeu... Não me deixe estragar tudo, Papai. Eu estou tão perdida quanto ansiosa. Seja tudo pra mim, não me deixe ir para longe de Ti para conquistar o que quero. No final, eu sei que ficaria vazia, porque já estive lá sem o Senhor.
Tu és o Amado da minh'alma!! Não me deixe desejar nada mais do que a Ti... Nada mais do que o Teu reino, que a Tua vinda. Fixe os meus olhos na eternidade. Amarre meu coração ao Teu, me faça olhar em Teus olhos de tal modo que enxergue o mundo refletido através deles.
Tu és luz e calor, és água da vida. Tu és a minha própria vida! Alimenta-me de Ti.

Em Teu nome eu oro mais uma vez.
Amém

domingo, 21 de maio de 2017

Diário de oração

Como um vento, como um terremoto, o Senhor vem...
Tão certo como a alvorada, tão belo como um sol, Ele vem.
E eu só quero estar acordada para ver Sua glória, sob a palma de Suas mãos.
Ele vem, de um jeito novo ou já conhecido, para me surpreender outra vez. E eu quero estar sempre a esperar, como a noiva pelo amado, sempre alerta e pronta para O encontrar.
E eu esperarei, e orarei mais uma vez. Eu não vou desistir nem me contentar... Por que há mais quando eu despertar!

Mayara Torroglosa Di Salvo
05/07/2016

Autoral III


Intimidade

Na porta do banheiro
Um "bom dia" e um minuto
Parado, olhando, sentindo o cheiro
Gravando o momento: 
Lápis no olho, perfume no pulso
Caixinho bem feito.
Sorrio ligeiro e pergunto
"Que foi?"
Responde "Não sei, só gosto de ver,
Olhar o contorno, amar o que sinto,
Que beijo, que ouço"

Café em silêncio, beijo na testa
Nó na garganta
Saiu pro trabalho
Mas no peito a vontade
De curtir a vida à dois.


Mayara Torroglosa Di Salvo
12/08/2010 - 10/11/2012 (fim)

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Depois de algum tempo...

... Eu resolvi escrever. 
Não pensando em quem pudesse ler, mas pela prosa e poesia, pela estranha sinfonia das palavras singelamente fluindo.

É que com o tempo a gente perde o ritmo, perde a métrica, perde a rima. Perde tudo, menos a beleza... A beleza continua aqui, procurando uma brecha pra fugir e se espalhar.
E o que mais a gente precisa além disso?
Na vida a gente perde tudo. Perde os dias, perde a fé, perde o canto e o amor... A gente só não pode perder de vista a beleza que existe na dor. Porque é aquilo que é belo que faz a gente andar, não desistir, perseverar. 
E é só quando a beleza se espalha, como as cores em um dia de sol, que a gente retoma aquilo que se perdeu. A gente acha de novo a graça nos dias, na fé, no canto e no amor... A gente nasce de novo e inventa um ritmo, que rime com o velho riso que se escondeu e foi achado.